Quem Somos

Atualmente, quase todos os países da Europa e muitos outros espalhados pelo mundo (Estados Unidos da América, Austrália, Brasil, África do Sul, entre outros) apostam na criação de estudos deste género para melhor perceber como cresce a sua população. Em Portugal, ao longo do século XX nunca foi possível estabelecer coortes, estruturas de investigação muito complexas, que exigem recursos humanos com elevado treino, uma máquina administrativa eficiente e financiamentos elevados. Finalmente, em 2005, foi possível reunir as condições imprescindíveis para lançar esse trabalho e assim nasceu a coorte Geração XXI.

O Departamento de Ciências da Saúde Pública e Forenses e Educação Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, à semelhança de outros estudos por si implementados para seguimento de adultos e adolescentes, lançou-se neste grande desafio de avaliar e acompanhar o desenvolvimento de 8647 recém-nascidos. Trata-se de um estudo inovador, o primeiro deste tipo a ser realizado em Portugal, cuja criação teve por base o objetivo de identificar características da gravidez e da infância que se relacionem com o desenvolvimento e estado de saúde nas fases subsequentes da vida. Pretendemos, portanto, acompanhar a evolução de vários parâmetros de saúde (sociais, comportamentais, organizacionais, biológicos), no sentido de explorar novas hipóteses, novos problemas, que nos permitam compreender a influência do período pré-natal e dos primeiros anos de vida no desenvolvimento e na saúde durante a adolescência e a idade adulta.

É nosso objetivo avaliar de forma contínua o crescimento e a saúde das crianças portuguesas para que, no futuro, possamos estar na vanguarda do planeamento de estratégias de intervenção em saúde pública.

Objetivos

Em linhas gerais e com todas as avaliações ao longo do tempo, pretende-se com a Geração 21:
1
Estimar indicadores de saúde materna e infantil (como por exemplo, quantas mulheres fumam durante a gravidez, quantas amamentam os seus filhos e até que idade, quantas crianças têm peso a mais, quantas têm acesso aos cuidados de saúde, entre outros indicadores).
2
Estudar a relação entre características dos progenitores e do desenvolvimento perinatal e parâmetros antropométricos e biológicos das crianças, nos seus primeiros anos de vida. Estes fatores funcionam como marcadores do risco cardiovascular, particularmente evidenciáveis através do estudo da obesidade e dos fatores relacionados com o seu desenvolvimento.
Todas as avaliações Geração 21, tanto as passadas como as futuras, devem ser encaradas como uma monitorização do estado de saúde das crianças portuguesas e dos seus determinantes. Assim, acreditamos que este projeto terá um importante papel no planeamento de estratégias de intervenção sanitária, podendo funcionar como Observatório de Saúde, avaliando continuamente o crescimento e a saúde das crianças e futuros adolescentes e adultos portugueses.
Avaliações

Ao longo do tempo vamos acompanhando as crianças que fazem parte do projeto Geração 21. Partindo de uma avaliação inicial ao nascimento, fomos seguindo grupos de crianças aos 6,15 e 24 meses, e aos 4 e 7 anos de idade tentámos examinar todos os participantes. É fundamental recolhermos informação em momentos chave do crescimento das crianças, daí que nos primeiros anos as avaliações tenham sido mais frequentes.

Para conseguirmos manter este acompanhamento e garantir o sucesso destas etapas, é fundamental termos os dados dos pais/ encarregados de educação atualizados, para que possamos estar sempre em contacto.

Neste sentido, se mudar de casa, de telefone ou de endereço de e-mail, por favor use o formulário que lhe disponibilizamos ou então contacte-nos para nos dar conhecimento dessa alteração.

Nascimento

Decorreu nos 5 hospitais públicos com maternidade da área metropolitana do Porto: a) Hospital Geral de Santo António e Maternidade Júlio Dinis (atualmente Centro Hospitalar do Porto);
b) Hospital de São João (atualmente Centro Hospitalar de São João);
c) Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia (atualmente Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia / Espinho);
d) Unidade Local de Saúde de Matosinhos - Hospital Pedro Hispano.

Entre abril de 2005 e agosto de 2006, 8495 mulheres internadas que tivessem tido um recém-nascido vivo num destes hospitais foram convidadas a participar no projeto Geração 21. No final, e dado que os gémeos também fazem parte da Geração 21, 8647 bebés foram incluídos. Mais de 90% dos progenitores que foram convidados aceitaram participar! 
Cerca de 300 mães foram convidadas a participar ainda antes de o seu bebé ter nascido. Este grupo incluiu mulheres que foram a uma consulta até às 13 semanas de gravidez na Maternidade Júlio Dinis e no Hospital São João, e foram seguidas ao longo da gravidez. Através de diversos formatos (questionários, exame físico, colheita de sangue), obteve-se uma grande quantidade de dados.

Informação recolhida:
Progenitores
- História e condição sociodemográfica
- História clínica, ginecológica e obstétrica (mãe)
- Gravidez e cuidados pré-natais (mãe)
- Consumo de tabaco, álcool e outras drogas
- Antropometria
- Parto
Recém-nascido
- Primeiros dias de vida
- Antropometria
- Perímetro cefálico, abdominal, torácico e do braço 

d1ziek05u5on.png

Questionários aplicados:
0_Baseline_Questionario_Bebe
0_Baseline_Questionario_Mae
0_Baseline_Questionario_Pai

6 meses

Teve lugar nos centros de saúde onde os bebés se encontravam inscritos, passando posteriormente para o Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

zgotrazrs5rg.png

Nesta avaliação recolheram-se dados sobre a criança através de questionários e avaliação física.

Informação recolhida:
- Casa e cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Hábitos de sono e padrão de choro
- Saúde
- Desenvolvimento psico-motor
- Utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Antropometria 

Questionário aplicado:
06M_Questionario Bebe

15 meses

Nesta avaliação recolheram-se dados sobre a criança através de questionários e avaliação física.

Informação recolhida:
- Casa e cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Hábitos de sono
- Desenvolvimento psico-motor
- Saúde
- Utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Antropometria

Questionário aplicado:
15M Questionário Bebe

24 meses

Esta avaliação foi realizada a um menor número de participantes e decorreu no centro de saúde da Carvalhosa, no Porto, em colaboração com médicos internos de pediatria. Em 2008, um grupo de participantes foi avaliado nas instalações da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto.
Nesta avaliação recolheram-se dados sobre a criança através de questionários e exame físico.

Informação recolhida:
- Casa e cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Hábitos de sono
- Saúde
- Utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Antropometria
- Acuidade visual
- Saúde oral

Questionário aplicado:
24M_Questionario Bebe

4-5 anos

Entre abril de 2009 e agosto de 2011 a coorte foi avaliada na totalidade na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto. 

eaxy2ztmtdsf.png

76lhdk2msbyr.png

Foram avaliadas quase 7500 crianças e mães.

Informação recolhida:
Criança
- Casa e cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Atividade física
- Hábitos de sono e padrão de choro
- Patologia e utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Condição física
- Antropometria
- Composição corporal
- Pressão arterial
- Saúde oral (por médicos dentistas)
- Parâmetros bioquímicos a partir de amostras de sangue
Mãe
- Caracterização sociodemográfica
- Hábitos alimentares
- Hábitos de sono
- Atividade física
- Consumo de tabaco e álcool
- Imagem corporal
- História clínica
- Condição física
- Antropometria
- Pressão arterial
- Saúde oral (por médicos dentistas)
- Parâmetros bioquímicos a partir de amostras de sangue

Questionários aplicados:
48M_Avaliacao_fisica criança
48M_Questionario Crianca
48M_Questionario Mae

7 anos

Entre abril de 2012 e março de 2014 teve lugar a avaliação aos 7 anos!
Esta avaliação decorreu no Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. 

kvdnhwpg5v3w.png

Nesta fase, e à semelhança do que aconteceu durante a avaliação aos 4-5 anos, pretendemos reavaliar todas as crianças que integram a coorte. Para isso, uma equipa de profissionais de saúde treinados esteve diariamente nas instalações do Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto para receber as famílias que aceitaram participar.
Através de diversos questionários e diários foram recolhidos dados sobre:

Criança
- Casa e cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Atividade física
- Patologias e utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Dor musculo-esquelética
- Disciplina
Progenitores
- Caracterização sociodemográfica
- Hábitos alimentares
- Consumo de tabaco e álcool
- Imagem corporal
- História clínica e obstétrica (mãe)

O exame físico à criança foi bastante detalhado e incluiu:
- Antropometria
- Bio-impedância
- Pressão arterial
- Eletrocardiograma
- Espirometria
- Densitometria óssea
- Colheita de sangue 

7e0pfdgyxm3h.png

Fada dos Dentes 

vjlsnclclq6v.jpg

Na avaliação aos 7 anos, guardámos um dos dentes de leite de cada criança.
Foi pedido aos pais que nos trouxessem um dente de leite quando viessem ter connosco para realizar a avaliação dos 7 anos.
O nosso objetivo será, à semelhança do que já se faz em outros países europeus com projetos idênticos ao nosso, criar o primeiro Biobanco de dentes em Portugal. A análise da dentição primária pode ser importante para estudar fatores ambientais aos quais a criança esteve exposta ainda no útero da mãe e ao longo da infância e perceber a sua infl­uência na saúde futura.

Questionários aplicados:
84M Questionario Crianca
84M Avaliacao Fisica Crianca
84M Questionario Mae
84M Questionario Pai

10 anos

Decorreu entre julho de 2015 e janeiro de 2017, no Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, a avaliação aos 10 anos!
O objetivo foi reavaliar todas as crianças que integram a coorte. Nesse sentido, uma vez mais, esteve diariamente uma equipa de profissionais de saúde treinados nas instalações do Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto para receber as famílias que aceitaram participar.

Nesta fase os dados que recolhemos focaram-se sobretudo nas crianças, nomeadamente:
- Cuidadores da criança
- Hábitos alimentares
- Atividade física
- Patologias e utilização dos cuidados de saúde
- Acidentes
- Dor musculo-esquelética
- Bullying

As crianças fizeram também exames físicos bastante pormenorizados: 
- Antropometria
- Bio-impedância
- Pressão arterial
- Eletrocardiograma
- Espirometria com prova de broncodilatação
- Desenvolvimento pubertário
- Colheita de sangue 

0orxx4h6txuc.jpg

Questionário aplicado:
10Anos_Questionario Crianca

Financiamento
Parcerias
Equipa
Investigador Principal
Henrique Barros
Coordenação Executiva
Ana Cristina Santos
Trabalho de Campo

Alexandra Silva
Ana Bela Oliveira
Ana Filipa Ferreira
Ana Lúcia Campos
Andreia Garcia
Cátia Ferreira

Clara Cruz
Daniela Miranda
Daniela Silva
Débora Pereira
Ema Torres
Flávia Mouta

Inês Carvalho
Joana Anselmo
Mafalda Alves
Mafalda Madureira
Maria João Novais
Mariana Mendes

Marta Costa
Rita Ribeiro
Sandra Sousa
Sofia Costa
Sofia Neves
Vítor Morais